Sem. Bruno Luis - Sexta-feira, 29 de Junho de 2012 - 14:31:06

Como bonitas são as pessoas, porém, como nossos olhos estão viciados naquilo que é a imagem superficial das coisas ou pessoas. Não me refiro aqui à beleza como atrativo estético, mas quando se fala em beleza, logo imaginamos aqueles atores ou atrizes mais bonitos da televisão ou mesmo as modelos e os modelos magérrimos das passarelas. É preocupante como nosso olhar para o outro é limitado dentro de parâmetros de beleza pré-dispostos por uma sociedade que visa apenas o aparente, o superficial, enfim, aquilo que é pouco sólido. Da mesma forma que tudo se torna líquido no campo das relações o será também no campo dos valores. Assim, começamos a mensurar o valor de uma pessoa não pelo caráter (valores que norteiam sua vida), mas pela roupa que usa, pelo carro que possui ou quantas vezes viaja para a Europa. Considero o outro pelo que tem e não pelo que é. Isso é um perigo que se alastra rapidamente nas relações.

Num mundo de relacionamentos puramente virtuais e sem vínculos permanentes, como solidificar amizades duradouras? Ao tentarmos responder tal pergunta cabe pensarmos que o amor (que é ou deveria ser à base de todo relacionamento sólido) é a capacidade de enxergar o outro além daquilo que é o aparente e superficial. É ver o outro como diferente, e nisso consiste sua beleza, o outro enriquece o mundo porque é diferente, insubstituível, especial, formado pelas mãos do Criador, será sempre único. Por isso, não podemos querer num relacionamento amistoso exigir que o outro seja minha sombra ou apenas uma extensão do meu ser, desta forma, nós estaríamos matando a subjetividade do outro, deteriorando toda a sua beleza e jogando fora um precioso tesouro para o mundo (o outro) como se fosse apenas um lixo inútil. Pe Fábio de Melo no diz uma coisa muito bonita a respeito do amor por interesse e o amor por valor. Ele nos fala: “Como está a nossa capacidade de amar? Uma coisa é amar por necessidade e outra é amar por valor. Amar por necessidade é querer sempre que o outro seja o que você quer. Amar por valor é amar o outro como ele é quando ele não tem mais nada a oferecer, quando ele é um inútil e, por isso, você o ama tanto. Na hora em que forem embora as suas utilidades você saberá o quanto é amado”. 

A beleza da amizade consiste às vezes na falta de lógica. Jesus não escolhia seus amigos pela posição social, até porque Jesus sempre escolhia os piores. Ele os amava não pelo aparente, seria empobrecer demais o ser humano, Jesus os amava por aquilo que eles podiam ser de melhor quando, de fato, se reconhecessem pela ótica do amor e não do preconceito cruel. Veja o caso da mulher encontrada em adultério (Cf. Jo 8, 1-11), todos a julgava pelo seu pecado, aquilo que era aparente. Jesus usa do amor e a perdoa porque sabia que ela podia ser uma pessoa melhor, se lhe fosse dada mais uma chance. E mais, sabe por que todos a queriam apedrejar? Porque no pecado exterior daquela mulher era visto o pecado interior daqueles homens. Era escancarado a cada um a podridão que lhes habitavam o coração. Matando aquela mulher seria uma forma de matar-lhes a consciência que os acusavam na suas falsas seguranças de fiéis observadores da lei, uma lei cujo amor não era a base. Jesus a julga no tribunal do amor e a salva.

No dia 20 de julho comemoramos o dia da amizade, como se fosse necessário um dia para celebrarmos todos aqueles que amamos. Celebração da amizade são todos os dias e não apenas uma vez ao ano, é todas as vezes que somos capazes de amar desinteressado, quando somos capazes de cuidar e querer o bem do outro, quando somos capazes de estar pertos mesmo estando longe. A distância não tem poder para separar uma amizade porque mesmo que nosso corpo ande 20, 30 mil Km nosso coração permanece no mesmo lugar.  Rezemos por todos os nossos amigos, por todos que nos lembram quem nós somos quando só um abraço fala mais alto, lembremos de todos nossos amigos e estendamos a Deus nossa gratidão por colocar ao nosso lado um anjo tão cuidadoso e zeloso, o qual chamamos: amigo.

Que Deus abençoe a todos pelas mãos intercessoras de Maria, a Senhora Aparecida.

 

Bruno Luiz Ferreira da Silva

Seminarista